Conteúdo (alt + 1) Menu Principal (alt + 2) Menu Direita (alt + 3) Busca (alt + 4) Inicio (alt + 5)   
 
     
 
 
 
 
 
 
     
 
 
Dia Mundial do Autismo busca conscientizar população

O dia 2 de Abril será dedicado a pessoas como João Marcos, 25 anos. Ele é autista como quase dois milhões de brasileiros. A Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu esse dia para a conscientização sobre a síndrome, que atinge uma em cada mil crianças, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

O Autismo, mais comum em meninos, está presente desde o nascimento, manifestando-se invariavelmente antes dos 30 meses de idade. Caracteriza-se por uma disfunção cerebral e impede o desenvolvimento das relações sociais normais. É diferentedo retardo mental, embora 80% das crianças com Autismo possam apresentar também Síndrome de Down ou Epilepsia.


 A neuropediatra do Hospital Infantil Joana de Gusmão, Carla Marchesini, explica que as causas da síndrome são genéticas e que não existe exame para detectar a doença. “O diagnóstico é clínico, feito a partir dos sintomas apresentados, mesmo quando bebê. Não é preciso esperar a criança falar ou andar”, lembra.

 

Como todas as patologias, a médica alerta que o diagnóstico precoce e a conscientização são o fator principal para o tratamento, que é acompanhado de medicação, psicoterapia e fonoterapia, em função dos distúrbios da fala que acometem a maioria dos pacientes.

Os pais de João Marcos detectaram alguns sinais da Síndrome do Autismo quando ele tinha menos de dois anos, como hiperatividade e a execução de movimentos estereotipados. “Ele pulava e gritava muito”, relata a mãe, Raquel Bittencourt, diretora da Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde.


 Ela conta que o filho aprendeu a falar, mas foi parando gradativamente. “O João Marcos compreende tudo e se comunica por gestos, às vezes nos usa como se fôssemos uma extensão dele, para alcançar um copo d’água, por exemplo”, descreve.

 

Em qualquer idade, os autistas precisam de cuidados especiais. “Meu filho é muito carinhoso e amado e nunca está sozinho. A gente acaba tratando-o como uma criança, pois acaba ficando superprotegido”, revela Raquel. Mesmo depois de João Marcos ter completado 18 anos de idade, nós acabamos responsáveis por todos os seus atos. “Todo o investimento valeu a pena, pois ele conseguiu chegar à idade adulta melhor e nos acompanhar em passeios, restaurantes, sem apresentar comportamento exaltado”, completa a mãe.

 

A preocupação com a chegada da fase adulta, da velhice e a necessidade de suprir a oferta de atividades acaba estimulando a criação de instituições que oferecem mais qualidade de vida para essas pessoas, em qualquer idade. O pai de João Marcos, David Luiz Bittencourt Neto, faz parte da Diretoria Executiva da Associação Caminhos Para a Vida, que atende, desde 2005, pessoas a partir dos 14 anos de idade com qualquer deficiência.

 

Para marcar a data, a Associação de Pais e Amigos de Autistas, AMA, promove uma caminhada comemorativa. A concentração para o evento será no Trapiche da Beira-Mar Norte, às 9 horas deste sábado (02). Em diversas cidades do Brasil também estão sendo organizados eventos como panfletagem e iluminação de monumentos e praças em tons de azul, a cor do Autismo.

 

Mais informações podem ser encontradas no endereço WWW.acaminhosparavida.com.br ou pelo telefone 48 3209-0949, além do site WWW.ama.org.br, ou 48 3244-6009 e 48 3025-5140.


Voltar
 
 
 
Rua Esteves Júnior, 160 - Centro - CEP: 88.015-130 - Florianópolis - Fone: (48) 3221-2000
 
 
     
 
   
Design by windows vista forum and energiesparlampen