Conteúdo (alt + 1) Menu Principal (alt + 2) Menu Direita (alt + 3) Inicio (alt + 5)   
 
     
 
 
 
 
 
 
     
 
 
http://portalses.saude.sc.gov.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/4143911reduzida.jpglink
http://portalses.saude.sc.gov.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/206311WhatsApp_Image_2017_09_16_at_11.07.35.jpeglink
http://portalses.saude.sc.gov.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/321694HIJG3__1_.pnglink
http://portalses.saude.sc.gov.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/786553WhatsApp_Image_2017_09_21_at_14.23.04_4_.jpeglink
http://portalses.saude.sc.gov.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/506798IMG_9223.JPGlink
Governo do Estado e Ministério Público de Santa Catarina discutem dívidas com os municípios Campanha de multivacinação para crianças e adolescentes entra na reta final Hospital Infantil Joana de Gusmão abre as portas para os jogadores do Avaí Futebol Clube Novo modelo de gestão do SAMU é aprovado em reunião da CIB Novo bloco do Hospital Regional do Oeste recebe primeira parte dos mobiliários
Campanha Setembro Verde destaca importância do diagnóstico precoce do câncer colorretal

Florianópolis, 31 de Agosto de 2017

Sociedade Catarinense de Coloproctologia, capítulo Catarinense da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva e clínicas médicas estão engajadas na campanha Setembro Verde, que tem por finalidade principal informar a população sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de intestino e reto (câncer colorretal- CCR), e estimular práticas de um estilo de vida saudável.

“Este tipo de câncer pode ser evitado em 90% dos casos, mas, com o passar dos anos, faz cada vez mais vítimas no Brasil. Pensando nisso, a campanha Setembro Verde promove durante todo esse mês uma série de ações nos municípios de Blumenau, Joinville, Jaraguá, Itajaí, Indaial, Criciúma, Florianópolis, São José, Palhoça, Tubarão, Lages e Joaçaba”, explica a  médica Maria Cecília Araújo, especialista em Cancerologia Clínica e membro do corpo clínico de Oncologistas do Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon) e da Viver Clínica Médica, em Florianópolis.

Ela relata que os dados são alarmantes. “Estima-se que em 2016 o câncer colorretal foi o segundo tumor mais incidente em mulheres no Brasil, como 17.620 casos, perdendo apenas para o câncer de mama. Em homens foi a terceira causa de câncer, com 16.660 casos”, diz a especialista.

Para o ano de 2020, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), são esperados mais de 15 milhões de casos novos de câncer no mundo. O câncer é a segunda maior causa de morte no Brasil, com 190 mil óbitos por ano. A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) é de que 596 mil novos casos da doença surjam este ano. Destes, 34.280 casos serão somente de câncer de cólon e reto (intestino), cuja proporção será maior na Região Sul  do país (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

A maior incidência do câncer de cólon e reto na Região Sul se deve ao estilo de  vida da população dos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina ser mais semelhante ao de países desenvolvidos, em que há uma elevada prevalência de excesso de peso e obesidade, inatividade física, tabagismo, ingestão de bebida alcoólica e consumo de carnes processadas como salsicha, presunto, linguiça, etc.

A grande incidência do CCR no Brasil é preocupante. Estudos divulgados recentemente mostraram que este tipo de tumor tem aumentado inclusive entre pacientes jovens, menores de 55 anos, devido ao aumento dos casos de obesidade e dieta pobre em frutas e verduras

A CAMPANHA

“Queremos incentivar a adoção de uma alimentação saudável para que isso possa contribuir com a redução do risco do CCR. Além disso, uma das melhores maneiras de se fazer a prevenção é por meio da polipectomia (retirada de pólipos - lesões pré-cancerígenas), procedimento realizado por uma colonoscopia. O exame, que pode reduzir em mais de 50% a incidência de câncer, permite avaliação de todo intestino grosso através de uma câmera” comenta Elisa Treptow Marques, presidente da Sociedade Catarinense de Coloproctologia.

Quando associado o índice de cura à velocidade com que é detectada a doença, cerca de 90% dos pacientes diagnosticados na fase inicial ganham uma sobrevida de cinco anos. Essa porcentagem diminui à medida que o diagnóstico é feito em estágios mais avançados, chegando a 71% nos pacientes com metástases regionais e apenas 13% para aqueles com doença a distância (como no fígado e pulmões). Além da redução da mortalidade, pacientes diagnosticados precocemente não necessitam de tratamentos mais intensos e com efeitos colaterais, como radioterapia e quimioterapia, por exemplo.

A colonoscopia é indicada para a população com mais de 50 anos. de maneira geral, o que se indica é a realização da colonoscopia na população que está sob maior risco, que são as pessoas com mais de 50 anos. Entre as ações confirmadas para Grande Florianópolis está a organização de um mutirão para a realização de 50 exames de colonoscopia, no dia 30 de setembro, no Hospital Universitário (HU). Na ocasião, pacientes do SUS, acima de 60 anos e que já estão agendados, serão atendidos por médicos voluntários.

Também haverá a exposição de um intestino gigante no Continente Park Shopping, nos dias 15, 16 e 17, onde profissionais da saúde guiarão os visitantes em um passeio pelo seu interior, uma réplica que permite à população observar detalhes do próprio corpo.

“A mensagem que queremos passar neste mês, e que esperamos que se propague e prevaleça durante o ano todo, é de que a prevenção é sempre o melhor remédio, e ter um estilo de vida saudável faz toda a diferença”, complementa Amilton Carniel Guimarães, presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SC.

Ele lembra que existem outros fatores de risco individuais como história familiar de câncer, presença de doenças inflamatórias intestinais e/ou mutações genéticas e obesidade, que devem ser avaliados em consulta médica.


Voltar
 
 
 
Rua Esteves Júnior, 160 - Centro - CEP: 88.015-130 - Florianópolis - Fone: (48) 3664-9000
 
 
     
 
   
Design by windows vista forum and energiesparlampen